Quem sou eu

Minha foto
Sou Capitão da Polícia Militar, Pedagogo, Especialista em Segurança Pública, Diretor do Colégio da Polícia Militar-PB, Coordenador-Geral do PRONATEC na Paraíba. Acredito que o nosso Brasil pode melhorar muito mais, na medida em que todos possam colaborar com as suas capacidades. TWITTER : @ElmerMelz ; FACEBOOK: Elmer Melz

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Colégio da PM abre vagas para novos estudantes





O Colégio da Polícia Militar da Paraíba (CPM-PB), em João Pessoa, lançou edital de inscrições http://static.paraiba.pb.gov.br/2012/11/Di%C3%A1rio-Oficial-07-11-2012.pdf que oferece oito vagas (sendo sete para o 1º ano do Ensino Médio e uma para o 9º ano) para o ano letivo 2013. Conforme o edital, publicado no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (7), 60% das vagas são para filhos de policiais militares e 40% para os civis.

As inscrições estarão abertas no período de 26 de novembro a 14 de dezembro, no horário das 8h30 às 11h30 e de 13h30 às 16h30, na sede do colégio, na rua Coronel Francisco de Assis Veloso (sem número), Mangabeira VII. Caso a demanda seja maior do que o número de vagas oferecidas, o critério de seleção será um sorteio público, que será realizado no dia 20 de dezembro, no auditório do Centro de Educação da PM (também em Mangabeira).

“O Colégio da Polícia Militar faz parte da rede de escolas públicas do Estado, com a diferença de ser administrado pela Polícia Militar. Nesse sentido, a gestão militar preza bastante pela organização e pela motivação de cada um dos funcionários e dos alunos, tendo em vista que o sucesso de cada um repercute no êxito da equipe”, apontou o diretor do colégio, capitão Elmer Melz.

Ele lembrou, ainda, que diversos alunos da instituição são destaque em competições esportivas e de conhecimentos. Este ano, além de obter com os alunos do 5º ano uma média (5.9) um ponto acima da nacional no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), o CPM também recebeu uma menção honrosa na Olímpiada Nacional de História. 

Isso porque, três alunos da instituição chegaram a final da competição, que é promovida pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp-São Paulo) e tem participação de estudantes de todo o país. No esporte, os alunos do Colégio da Polícia Militar conquistaram medalha de ouro nos Jogos Escolares Estaduais deste ano, nas modalidades de Futebol de Campo (categoria de 12 a 14 anos) e Taekwondo.

Já os times de Futsal, Volleiball e Handball (ambos tanto masculino quanto feminino) conseguiram a prata. Em nível nacional, quatro dos seis integrantes da equipe paraibana de Taikodom, que disputará nos próximos dias as Olímpiadas Escolares Brasileiras, são do CPM. 

Já há uma sinalização positiva no sentido de que a gestão da Escola Técnica Estadual em Mangabeira ficará sob a gestão do Colégio da Polícia Militar, garantindo dessa forma o ensino profissionalizante de qualidade e um ambiente escolar com o patrimônio público conservado e livre de violência e aliciamento para as drogas.

Confira a documentação exigida para realizar a inscrição no Processo Seletivo do CPM:

* Requerimento de inscrição devidamente preenchido, sem lacunas, emendas e/ou rasuras.
* Declaração original ou cópia autenticada da escola de origem, constando o ano/série em que o interessado está cursando em 2012, devidamente assinada pelo gestor ou secretário escolar.
* Cópia autenticada do documento de identidade do responsável legal pelo candidato.
* Cópia autenticada da certidão de nascimento do candidato ou fotocópia com original.
* Para os candidatos filhos de policiais militares da PMPB, será exigida cópia autenticada da carteira de identidade funcional do pai/mãe militar estadual.
* Para os candidatos filhos de policiais militares da PMPB que não sejam filhos biológicos serão exigidos o comprovante legal de dependência oriundo do Poder Judiciário ou Conselho Tutelar.

Equipe do Colégio da PM recebem Menção Honrosa da UNICAMP-SP


Confira também nos seguintes links:





Dois alunos do 9º ano do Ensino Fundamental do Colégio da Polícia Militar da Paraíba (CPM) se destacaram na 4ª Olimpíada Nacional em História do Brasil, que aconteceu entre os meses de agosto e outubro, em Campinas, São Paulo. Os alunos Sérgio Everton, de 15 anos, e Giovanny Santos, de 14 anos, participaram juntamente com o professor Rodrigo Fontes, concorrendo com 10.785 equipes de todo o país e conseguiram ficar entre as 300 melhores equipes do Brasil.

“Nossos alunos do 9º ano do Ensino Fundamental concorreram com alunos do 2º e 3º ano do Ensino Médio, muitos de escolas particulares e, mesmo assim, conseguiram ficar entre as 300 melhores equipes do país”, destacou o professor Rodrigo Fontes de Lima.

A 4ª Olimpíada Nacional em História do Brasil foi promovida pelo Museu Exploratório de Ciências da Unicamp. Os alunos paraibanos receberam medalhas, o certificado de menção honrosa e livros para estimular os estudos da disciplina.

“Estimulamos nossos alunos a criarem times nas disciplinas, assim como acontece nos esportes, então este professor se interessou e com seu time, formado por 15 alunos, intensificou os estudos em História do Brasil e conseguimos obter êxito nas cinco primeiras fases e tivemos estes alunos que chegaram à etapa final”, contou o capitão Elmer Melz, diretor do Colégio da Polícia Militar da Paraíba (CPM).

Para o aluno Giovanny Santos, participar da etapa final da olimpíada, em São Paulo, foi uma grande conquista. “Quando vimos que estávamos lá, competindo com todas aquelas escolas e conseguimos ficar entre as 300 melhores equipes do país, vi que, independente de onde você estuda, o que realmente importa é a força de vontade”, comentou o aluno.

A 4ª Olimpíada Nacional em História do Brasil teve seis fases, sendo que da primeira à quinta fase foi realizada de forma online, entre os meses de agosto a outubro.

A última fase, presencial, aconteceu em outubro, mesmo mês em que aconteceu a divulgação dos resultados, no último dia 21. Na primeira fase participaram 10.785 equipes de todo o país, incluindo escolas privadas, Institutos Federais de Educação e escolas públicas. Apenas 300 equipes de todo Brasil chegaram à fase presencial final, entre elas a da Paraíba. A prova final foi composta por três imagens, onde os alunos tiveram que fazer uma análise historiográfica dos documentos históricos.