Quem sou eu

Minha foto
Sou Capitão da Polícia Militar, Pedagogo, Especialista em Segurança Pública, Diretor do Colégio da Polícia Militar-PB, Coordenador-Geral do PRONATEC na Paraíba. Acredito que o nosso Brasil pode melhorar muito mais, na medida em que todos possam colaborar com as suas capacidades. TWITTER : @ElmerMelz ; FACEBOOK: Elmer Melz

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Guerreiros lendários: Sir ADRIAN PAUL GHISLAIN CARTON de WIART


Os feitos do oficial Carton de Wiart — foi baleado oito vezes, sobreviveu a uma queda de avião, arrancou seus dedos com os dentes — fazem da sua descrição ‘o melhor 1º parágrafo do Wikipédia
As três guerras que lutou tomaram do oficial um olho e um braço, mas ele não esmoreceu: “eu aprecei a guerra”

 ” Sir Adrian Paul Ghislain Carton de Wiart (5 de maio de 1880 – 5 de junho de 1963) foi um oficial do Exército Britânico de origem belga e irlandesa. Ele serviu na Guerra dos Bôers, na 1ª Guerra Mundial e na 2ª Guerra Mundial. Foi baleado no rosto, na cabeça, no estômago, no tornozelo, na perna, nos quadris e na orelha. Sobreviveu a uma queda de avião; cavou um túnel para escapar de um acampamento enquanto era prisioneiro de guerra; e arrancou com os dentes seus próprios dedos quando um médico se recusou a amputá-los. Relatando a sua experiência na 1ª Guerra Mundial, ele escreveu: ‘Francamente, eu apreciei a guerra’. “

A trajetória do oficial Adrian Carton de Wiart é a encarnação (de apenas uma parte) da carga mítica de Chuck Norris — hoje, muito menos um ator de filmes de ação, e muito mais uma lenda urbana. Algumas das passagens da vida do oficial Adrian Carton de Wiart poderiam facilmente estar listadas entre as “verdades sobre Chuck Norris”.

Veja o que mais diz a página do Wikipédia a respeito da figura. Para quem duvida da veracidade das informações, basta ver a lista de fontes citadas na publicação. Entre elas, a autobiografia do militar, intitulada “Feliz odisseia”.
 Em 1915, Carton de Wiart perdeu a mão esquerda após ser atingido por estilhaços — não antes de ter arrancado alguns dedos com os dentes.
 Aos 35 anos, tomou dois tiros no rosto e perdeu o olho esquerdo e uma parte da orelha, o que o obrigou a usar um tapa-olhos preto pelo resto da vida.
 Entre seus contemporâneos, especulava-se que ele pudesse ser um filho ilegítimo do rei belga Leopoldo II.
 Aos 19 anos, ele abandonou a faculdade para se juntar ao exército. Sob um nome falso e dizendo ser seis anos mais velho do que realmente era, Carton de Wiart foi enviado à África do Sul, onde foi baleado no estômago. Somente quando foi enviado de volta para casa, por invalidez, seu pai descobriu que havia largado os estudos.
 Em 1908, casou-se com uma condessa austríaca de nome: Friederike Maria Karoline Henriette Rosa Sabina Franziska Fugger von Babenhausen.
 Apesar de todos os ferimentos, confessou ter “apreciado” a guerra. Perguntou-se também por que as pessoas perseguem tanto a paz se a guerra é tão “divertida”.
 No período do entreguerras, Carton de Wiart foi incumbido de intermediar as negociações de paz entre poloneses e ucranianos. Falhou.
 
Em 1939, logo antes do início da 2ª Guerra Mundial, Carton de Wiart ficou cercado por inimigos na Romênia. Conseguiu escapar com um passaporte falso.
 Em um avião a caminho da Iugoslávia, uma falha no motor fez com que a aeronave caísse no mar, a cerca de dois quilômetros da terra firme. Após ter ficado inconsciente com a queda, a água fria acordou oficial, que conseguiu nadar até a costa (ele tinha apenas um braço), mas foi capturado pelas tropas italianas na Líbia.
 Tentou cinco vezes escapar da prisão na Itália. Em uma delas, passou sete meses escavando um túnel. Conseguiu fugir por apenas oito dias, período em que ficou disfarçado de camponês italiano — fato bastante surpreendente, já que Carton de Wiart tinha 61 anos, não falava a língua, andava com um tapa-olhos, uma das mangas da camisa vazia, além de inúmeras cicatrizes.
 Em 1943, de volta ao Reino Unido, Winston Churchill o enviou à China como seu representante especial.
 Como parte de suas funções, acabou conhecendo o líder chinês Mao Tsé-Tung durante um jantar. Carton de Wiart interrompeu o discurso do chinês e passou a criticar sua atuação na 2ª Guerra Mundial. Por um breve momento Mao ficou chocado, mas depois deu risada.
 Em 1947, aposentou-se do exército.
 Após a morte da sua esposa, em 1951, casou-se novamente. Com uma mulher 23 anos mais jovem.
 Em 1963, o tenente-general aposentado Adrian Carton de Wiart morreu aos 83 anos de idade.

Onde está Carton de Wiart? Sentados, da esquerda para a direita: o líder chinês Chiang Kai-Shek, o presidente dos EUA Franklin Delano Roosevelt e o premiê inglês Winston Churchill, na Conferência do Cairo, em 1943


.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

10 filmes, livros e séries em versão 8-bit (ou 16-bit)

Transcrito de: 
http://super.abril.com.br/blogs/superlistas/10-filmes-livros-e-series-em-versao-8-bit/?utm_source=+redesabril_jovem&utm_medium=facebook&utm_campaign=+redesabril_super

Computadores “pensam” interpretando sinais elétricos, representados por 1 (quando há sinal) e 0 (quando não há). E cada um desses sinais tem o nome de bit. A lógica é simples: quanto mais bits um computador consegue processar, mais inteligente (e veloz) ele é. E a lógica também se aplica aos videogames: se os clássicos Atari 2600 e Nintendinho tinham apenas 8 bits, o futuro Playstation 4 terá 8 núcleos de processamento com 64 bits cada. Uma diferença gigante. Mas como amor não se mede em bits, os jogos lançados nas décadas de 70 e 80 não foram esquecidos e continuam servindo como inspiração para vídeos e jogos produzidos por fãs. Conheça 10 filmes, livros e séries que ganharam versões em 8 ou 16-bit:

1. Kick Ass
Lutar contra o crime não é tão fácil quanto parece. Para salvar o dia, não basta vestir uma fantasia – uma lição que o jovem justiceiro “Kick Ass” aprendeu da maneira mais difícil. Em 2010, o diretor Matthew Vaughn levou para as telonas o longa que deu uma nova cara ao gênero de filmes de super-heróis. A segunda parte da aventura – que traz novamente, para a alegria dos fãs, a fantástica heroína mirim Hit Girl – chega aos cinemas brasileiros em 18 de outubro. Enquanto a data não chega, vale relembrar o longa original com a divertida animação acima.

2. Breaking Bad
Não adianta tentar torcer pelos personagens do bem ou do mal – em Breaking Bad, seriado que acompanha os eventos que levam um pacato professor de química a se tornar um rei do crime, todos os personagens são moralmente ambíguos. Depois de cinco temporadas, a série, idealizada por Vince Gilligan, chegará ao seu desfecho em setembro deste ano. No vídeo acima, o College Humor relembra as quatro primeiro temporadas da série em toda a glória dos games dos anos 1990.

3. O Grande Gatsby
gatsby
Para quem já estava começando a ficar desapontado com a impossibilidade de tomar o joystick e controlar os personagens pixelados, vem aí uma boa notícia. Charlie Hoey e Pete Smith, amantes de literatura, tiveram uma ideia inusitada em 2011: a dupla de amigos resolveu transportar O Grande Gatsby, o clássico escrito por F. Scott Fitzgerald, para a antiga plataforma do antigo Nintendo Entertainment System (o NES, ou Nintendinho, como você provavelmente se lembra). No romance, publicado em 1925, Jay Gatsby é um homem elegante e indecifrável, cujo passado é um mistério. O narrador-personagem Nick Carraway se vê intrigado pelo enigmático proprietário de uma luxuosa mansão na zona mais rica das praias de Long Island, que é cenário para suntuosas festas. No jogo, Nick se esforça para desvendar os mistérios – e precisa derrubar muito mais garçons e distribuir muito mais tapas do que no livro escrito por Fitzgerald. Para jogar, basta clicar aqui.

4. Blade Runner
O ano é 2019, a cidade é Los Angeles. Neste universo distópico, robôs produzidos pela Corporação Tyrell, chamados de replicantes e visualmente idênticos aos humanos, foram banidos da Terra. Para garantir que eles respeitem os limites impostos, entram em ação os chamados Blade Runners, ou “Caçadores de Andróides”, que têm como missão “aposentar” as máquinas que desafiam as regras. Misturando o visual dos jogos em 8 e 16 bits, o CineFix recriou o clássico dirigido por Ridley Scott em 1982 no vídeo que você assiste acima.

5. Edgar Allan Poe
O universo misterioso e macabro dos livros de Edgar Allan Poe serviu como inspiração para a criação de Edgar, um game com ares da era vitoriana e jogabilidade do nintendinho. Em produção pela empresa independente Wrought Iron Games, o jogo toma certas liberdades em relação à obra do escritor estadunidense que viveu entre os anos de 1809 e 1849. No universo alternativo deEdgar, Poe está de férias em Londres quando sua esposa desaparece misteriosamente. O principal suspeito do sequestro é o infame Jack, O Estripador, que é apenas um dos personagens icônicos incorporados pelo joguinho – até Drácula e Sherlock Holmes estão por lá. Para dar ainda mais emoção, o rei do terror tem ainda a opção de juntar esforços com o companheiro de profissão Júlio Verne. Para acompanhar o desenvolvimento do jogo, é só clicar aqui.

6. Homem de Ferro
Caso você tenha perdido a primeira aventura cinematográfica do milionário Tony Stark (a.k.a. o Homem de Ferro), essa é a hora de tirar o atraso. O longa dirigido em 2008 por Jon Favreau e estrelado por Robert Downey Jr. ganhou versão em 8-bits ultra-resumida, em que o herói precisa de apenas 60 segundos para sobreviver, montar sua armadura e salvar o mundo. Level hard.

7. Harry Potter
Enfrentar dementadores, derrotar Comensais da Morte, escapar do Lorde das Trevas, fazer o dever de casa. Você já se perguntou como Harry Potter nunca foi reprovado em nenhuma classe? Em 2010, os criadores do The Station partiram dessa ideia para criar o joguinho interativo Harry Potter and the Summer School Spectre. No universo do game, o bruxinho pegou recuperação e, enquanto “assiste” às aulas durante o verão, acaba se envolvendo em mais uma desventura extraclasse: o mistério da vez é o “Fantasma do Verão”, espírito que vaga por Hogwarts em tempos de clima quente. A trama provavelmente não impressionaria J. K. Rowling, mas vale perder uns minutinhos para acompanhar a história e tomar decisões que façam os personagens chegarem mais perto de descobrir a verdade.

8. Star Trek
Os trekies piram. As aventuras da Enterprise (em sua missão para audaciosamente ir onde nenhum homem jamais esteve) começaram em 1966, com a série de televisão Star Trek: The Original Series. Desde então, o universo criado por Gene Roddenberry já se expandiu para as mais diversas plataformas – inclusive a do nintendinho, que você vê acima.

9. O Âncora: a lenda de Ron Burgundy
Não vamos mentir: se você não assistiu ao filme O Âncora: A Lenda de Ron Burgundy, longa de 2004 estrelado por Will Ferrell e Christina Applegate, vai ter alguma dificuldade para acompanhar a versão pixelada produzida pelo CineFix. Na história, que se passa na década de 1970, somos apresentados a Ron Burgundy, um dos mais famosos âncoras dos jornais de San Diego, nos Estados Unidos. O prestigioso jornalista vê seu reinado ameaçado quando a ambiciosa Verônica passa a dividir com ele a bancada do jornal. E aí, já viu: a guerra entre os dois rivais (e ex-amantes) está declarada.

10. Community
Dan Harmon, criador de Community, não esperou que os fãs transportassem seus personagens para o universo pixelado. Em “Digital Estate Planning”, vigésimo episódio da terceira temporada do seriado, exibido em maio de 2012, os próprios roteiristas da série levam os amigos Jeff, Annie, Abed, Troy, Shirley, Pierce e Britta para uma aventura em 8-bits, em situações que se passam inteiramente dentro do universo de um jogo. Zerou. Não fosse o bastante, a brincadeira foi além (agora sim graças aos fãs): um grupo criou o Projeto Hawkthorne, iniciativa colaborativa para desenvolver uma versão real do game visto na telinha. O jogo ainda está em desenvolvimento, mas você já pode baixar – e jogar! – a primeira parte da aventura Jorney to the center of Hawkthorneno site oficial do projeto.


sábado, 7 de setembro de 2013

Escola Técnica Estadual será administrada pelo Colégio da Polícia Militar


Até o início de 2014, os estudantes paraibanos devem ganhar mais opções de formação em todo o Estado com a inauguração de seis escolas técnicas estaduais. Serão um total de 7,2 mil vagas abertas nas seis unidades em construção em João Pessoa, Bayeux, Mamanguape, Cuité, Cajazeiras e São Bento. O investimento total é de R$ 43,2 milhões, R$ 7,2 milhões por unidade, com recursos do Governo Federal.

As escolas terão edificações de primeiro andar, 11 salas de aula, auditório com capacidade para 145 pessoas, biblioteca, sala multimídia para professores, laboratório de línguas, informática, física, química, biologia e matemática, refeitório, cantina, cozinha industrial completa, sala para o grêmio estudantil, oficina de manutenção, anfiteatro, ginásio poliesportivo completo, laboratórios especiais que vão depender da oferta dos cursos e centro de vivências.

O Colégio da Polícia Militar da Paraíba (EEEFM Dr Fernando M. C. Lima) ingressou no programa Brasil Profissionalizado ofertando dois cursos técnicos: Técnico em Informática para Internet e, Técnico em Programação de Jogos Digitais.

O Colégio da Polícia Militar é uma escola da rede estadual conveniada com a Polícia Militar da Paraíba.  À Secretaria de Estado da Educação cabe a logística, desde a aquisição de mobília até a contratação de professores.  À Polícia Militar cabe a gestão administrativa e pedagógica.  A escola tem se destacado no cenário da educação no Estado não apenas pelos resultados nos esportes, pela aprovação em vestibulares, pelos índices no IDEB, mas sim pela formação cidadã pautada na disciplina comportamental e intelectual.

Recentemente, o diretor do Colégio da PM foi eleito para participar da II CONAE/2014 (Conferência Nacional de Educação) como representante dos diretores de escolas estaduais da Paraíba, tendo como atribuição ser relator do Eixo Temático EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: cultura, ciência, tecnologia, saúde e meio ambiente.

"O programa Brasil Profissionalizado visa fortalecer as redes estaduais de educação profissional e tecnológica. A iniciativa repassa recursos do governo federal para que os estados invistam em suas escolas técnicas" disse o Capitão Elmer Melz, diretor do colégio.

A Secretaria de Estado da Educação já sinalizou positivamente de que a Escola Técnica Estadual,  em João Pessoa, ficará sob a gestão do Colégio da Polícia Militar, para o contentamento de toda a comunidade circunvizinha.


COMPARE AS FOTOS DA MAQUETE E DAS OBRAS EM ANDAMENTO ACELERADO:

FACHADA
HALL DE ENTRADA
PASSARELA
GINÁSIO

VEJA A MAQUETE DE OUTROS AMBIENTES:
AUDITÓRIO
VISTA SUPERIOR
SALA DE AULA
VISTA AÉREA