Quem sou eu

Minha foto
Sou Capitão da Polícia Militar, Pedagogo, Especialista em Segurança Pública, Já ocupei as funções de Diretor do Colégio da Polícia Militar-PB (nov2009-jun2017), Coordenador-Geral do PRONATEC na Paraíba (mai2016-mai2017) e Coordenador de Polo do PBVest (2015-jun2017). Atualmente componho o Estado-Maior Estratégico da Polícia Militar da Paraíba, na função de Coordenador do EM/4-Políticas de Prevenção. Acredito que o nosso Brasil pode melhorar muito mais, na medida em que todos possam colaborar com as suas capacidades. TWITTER : @ElmerMelz ; FACEBOOK: Elmer Melz

domingo, 15 de abril de 2012

Vídeo com crianças causa polêmica no México e incomoda políticos

.
video



video



Um curta estrelado por crianças tem tirado os políticos mexicanos do sério, em plena corrida eleitoral. O vídeo foi criado pela ONG Nuestro México del Futuro e já foi visto por mais de 2,6 milhões de pessoas no YouTube. Nele, meninos e meninas retratam o México atual no papel de adultos, alguns como moradores de rua, assaltantes, traficantes, imigrantes ilegais e políticos corruptos. Incomodados, alguns políticos querem censurar o vídeo, sob a alegação de que ele violaria os direitos das crianças.

No final do vídeo, uma menina diz que, se esse é o futuro que lhe espera, ela não o quer e faz um apelo aos candidatos que disputam a Presidência mexicana.

- Sra. Josefina, sr. Andrés Manuel, sr. Enrique, sr. Gabriel: o tempo acabou. O México já chegou ao fundo do poço. Vocês só querem a cadeira presidencial ou vão mudar o futuro do nosso país? - questiona a menina.
O deputado Miguel Ángel García Granados, do esquerdista Partido Revolucionário Institucional (PRI), classificou o vídeo como "detestável" por fazer uso de menores:

- Não é desse modo que vamos resolver os problemas do país.

Granados é do mesmo partido que Enrique Peña Nieto, um dos favoritos na disputa, que expressou apenas que "é tempo de mudança, assim como o vídeo sugere". Já o deputado Mario Di Constanzo, do Partido dos Trabalhadores mexicano também repudiou a participação de menores no filme.

- A utilização de menores para interpretar sequestradores, traficantes de drogas ou policiais configura uma violação dos direitos da criança.

A também deputada Rosi Orozco, do partido governista PAN, "é lamentável que se manipule e se utilize crianças que ficarão estigmatizadas como futuros delinquentes, sequestradores e viciados em drogas".

Os legisladores, agora, pedem que a Secretaria de Governo proíba a veiculação do vídeo. Mas, dada a repercussão que o viral vem tendo nas redes sociais, a tarefa parece ser quase impossível.

A ONG Nuestro México del Futuro se defendeu das acusações respondendo que o vídeo não pretendia "representar a opinião de instituições e indivíduos particulares, mas sim a de milhões de mexicanos". O movimento, que tem o apoio de várias empresas, pretende recolher depoimentos com a visão de como os mexicanos querem que seu país seja. Os textos serão organizados em um livro, que, segundo a organização, será entregue aos candidatos da presidência. Segundo a CNN, mais de 10 milhões de mensagens já foram coletadas.

Em um outro vídeo, as crianças que participaram do curta-metragem dão a sua própria opinião sobre como querem que o México seja no futuro.

- Eu e meus filhos seríamos felizes, porque este seria um país limpo, que tenha empregos, e nenhuma pessoa seja pobre, nem rica - diz um dos protagonistas, o executivo que é rendido por assaltantes na saída de casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário